Pesquisar

Newsletter


 


 
Faixa publicitária

Liturgia

Faixa publicitária

Programa Pastoral Paroquial 2011-2012

Ainda que tenha de atravessar por vales tenebrosos,

não temerei nenhum mal,

porque Tu estás comigo.

(Sl 23 (22), 4)

 

No início de um novo Ano Pastoral somos congregados pela Palavra do salmista que nos recorda a presença amorosa de Deus na nossa história: “ainda que tenha de atravessar por vales tenebrosos, não temerei nenhum mal, porque Tu estás comigo”. Impressiona a confiança no Bom Pastor – nada temo porque sei que Tu estás comigo!

Nestes dias em que paira no ar o espectro da crise, e das dificuldades inerentes à mesma, vivemos uma espécie de depressão colectiva, e por isso é necessário acolher o apelo da Igreja que nos convida a mergulhar na Escritura, na intimidade com o Bom Pastor que nunca se esquece nem abandona as suas ovelhas. A confiança do salmista brota da relação íntima com o Bom Pastor que dá a vida pelas suas ovelhas, conhece-as pelo nome, vai à procura da que está perdida, acompanha as mais débeis, alimenta as famintas, carrega as que estão fatigadas e protege-as do mercenário, e, por fim, condu-las aos prados verdejantes, isto é, à Casa do Pai (Cf. Jo 10, 7-18).

Assumir a Palavra de Deus como luz para a vida e alma da Nova Evangelização, é este o mote que o Programa Pastoral da nossa Diocese lança a todas as comunidades cristãs do Patriarcado de Lisboa neste último ano do triénio 2009-2012. A Igreja que peregrina em Olivais Sul procura caminhar com as linhas programáticas da Igreja Universal e com as propostas do Bispo diocesano. Assim, somos chamados a acolher a Palavra de Deus como uma realidade primordial na nossa vida, alimento e ocasião de encontro com Cristo Ressuscitado e com a vontade amorosa do Pai.

Fazer da Palavra de Deus um alimento sólido e constante é um desafio exigente porque implica a disponibilidade para a escutar, a docilidade para a acolher e a obediência de coração para fazer dela um caminho seguro e fecundo para a nossa vida. Não nos podemos deixar iludir: ninguém pode viver da Palavra se não parar diante dela, não a podemos testemunhar se não deixarmos que ela se faça carne na nossa carne. Por isso o desafio, no início deste novo Ano Pastoral, a tomar seriamente a Palavra de Deus e a deixarmos que ela ilumine a nossa vida, conduza os nossos passos, oriente as nossas decisões e fortaleça o nosso desejo de estarmos mais perto de Deus e da sua vontade.

Na introdução ao programa diocesano de pastoral 2011-2012, o nosso Bispo ressalta quatro dimensões fundamentais para a sua concretização: a importância da liturgia, a centralidade da Palavra de Deus, a nova Evangelização e o desafio da caridade.

Na Liturgia, “a partir da Páscoa de Jesus, a Igreja celebra o que acredita e vive e descobre a vida celebrando. Na Igreja há uma relação vital entre celebração e missão. Depois do Baptismo, esta intimidade com Cristo aprofunda-se sobretudo na celebração da Eucaristia. A Liturgia é a arte e a regra para a Igreja celebrar bem, exprime a unidade da fé da Igreja, em sintonia, sempre afirmada, entre a lex orandi e a lex credendi”. Neste sentido procuraremos renovar o nosso empenho pela beleza e profundidade da Liturgia, o espaço vital para escutar a Palavra de Deus e para a actualizar na nossa vida. Continuaremos a apostar na formação contínua dos vários intervenientes na acção litúrgica (leitores, cantores, acólitos e MEC’S) de forma a tornar presente, em cada celebração, a Páscoa do Senhor.

A centralidade da Palavra de Deus na vida da Igreja, e de cada crente em particular, é um dos frutos do Sínodo dos Bispos sobre a Palavra de Deus e é o eixo do Programa Pastoral. Como afirma o Cardeal-Patriarca, “a Palavra corporiza a missão evangelizadora, exprime a actualidade da relação amorosa de Deus com o Seu Povo, e molda a intimidade da relação de cada comunidade e de cada cristão com o seu Senhor. Deus que nos fala, deseja que O escutemos. A Deus que fala é devida a obediência da fé. Quem escuta a Palavra sabe que ela o pode transformar”. Continuaremos a viver da Palavra nos encontros com os vários grupos e movimentos da Paróquia, acolheremos o desafio de acolher a Palavra de Deus como verdadeiro alimento e fonte de transformação nos encontros de aprofundamento da fé, nas recolecções, nos espaços e tempos de oração ao longo do ano, na catequese, etc. Este ano, a Equipa do Acolhimento convidará os pais da catequese a acolherem a Palavra de Deus, enquanto esperam pelos seus filhos, procurando aproveitar esse tempo para conhecer e acolher a Palavra de cada Domingo.

Nos últimos anos, o magistério pontifício tem lançado à Igreja universal o desafio da nova evangelização. Em 2005 a Igreja de Lisboa acolheu o Congresso Internacional para a Nova Evangelização e agora procura caminhos novos no anúncio do Evangelho e do Amor de Deus. A Nova Evangelização é assim um desafio, “na busca da autenticidade da Igreja e na sua missão. A escuta e o anúncio da Palavra de Deus são, mais uma vez, factor decisivo. Se o «novo ardor» na fé que ela exige, nos convida a aprofundar a comunhão com Cristo, na surpresa da oração, na generosidade da caridade e na ousadia da santidade, os novos métodos e expressões exigem uma leitura contínua da realidade humana da sociedade, para captar nela sinais e a ousadia de novas formas de missão”.

Por último, o desafio da caridade. Nestes tempos mais difíceis somos interpelados a ser sinal no meio do mundo, sinal de fraternidade e partilha. Como afirma, mais uma vez o nosso Bispo, “a Igreja é chamada a ser sacramento do amor de Deus por todos os homens, sobretudo pelos mais desfavorecidos. O anúncio da salvação é um testemunho de amor. é no realismo da caridade que a Palavra de Deus, que acolhemos na fé, se torna acontecimento”.

Este ano acolhemos na nossa comunidade três seminaristas que estão no itinerário de formação para o presbiterado. É para nós um sinal de que Deus não abandona o seu Povo e que lhe dá pastores segundo o coração e também uma oportunidade para crescermos com os dons que Deus lhes deu para o crescimento da comunidade.

Iniciemos, pois, o novo ano com a certeza de que Deus está sempre connosco, caminha ao nosso lado sempre disposto a escutar a nossa prece, a guiar os nossos caminhos e a fecundar as nossas vidas com a semente da sua graça. Que a Virgem Maria, Senhora da Graça de Deus nos ampare neste novo ano e nos ensine a escutar e obedecer à Palavra do Seu Filho Jesus.

Saúda-vos com estima,

Pe. Bruno Machado

 


PROGRAMA PASTORAL 2011/2012

Não temerei nenhum mal porque Tu estás comigo!

1. OBJECTIVO PRINCIPAL

“O núcleo central da missão da Igreja é perene e imutável: anunciar Jesus Cristo para levar as pessoas a acreditarem n’Ele; aprofundar essa fé, transformando-a em vida, através de uma sólida e continuada formação cristã; celebrar bem essa fé; dar testemunho, pelo modo como se vive toda a realidade humana transformada pela novidade de Cristo ressuscitado”.

“Deixai que a Palavra de Deus penetre e crie raízes nos vossos corações, e sobre ela edificai a vossa vida. Firmes na fé, sereis um elo na grande cadeia dos fiéis. Não se pode crer sem ser amparado pela fé dos outros, e pela minha fé contribuo também para amparar os outros na fé. A Igreja precisa de vós, e vós precisais da igreja”.

 

2. OBJECTIVOS SECTORIAIS

2.1 Fomentar o encontro com Cristo, Rosto da Palavra, proporcionando um conhecimento e relação adequados com a Palavra de Deus.

2.2 Fomentar a construção da Igreja, Casa da Palavra, aprofundando a vivência comunitária da Palavra de Deus.

2.3 Fomentar o compromisso na Missão, Caminho da Palavra, renovando o empenho no anúncio da Palavra de Deus como inerente à vida cristã.

 

3. LINHAS PROGRAMÁTICAS

3.1 Aprofundamento e vivência da fé cristã

3.1.1 Continuar o processo de renovação da catequese, concebida como caminho de iniciação cristã que fidelize os catecúmenos a Jesus Cristo e à Igreja.

3.1.2 Dar prioridade ao anúncio e à vivência da Palavra de Deus (incentivar a escuta da Palavra como atitude fundamental na vida cristã), como meio de dar uma maior autenticidade e fecundidade ao caminho cristão.

3.1.3 Promover experiências novas de evangelização, promovendo a formação da fé dos cristãos com catequeses para todas as idades e níveis

3.2 Participação na Liturgia

3.2.1 Cuidar da beleza das celebrações, dando-lhes qualidade e profundidade.

3.2.2 Continuar a formação litúrgica dos ministros da liturgia: acólitos, leitores, cantores, salmistas e ministros extraordinários da comunhão.

3.2.3 Valorizar outros momentos litúrgicos para além da celebração da Eucaristia proporcionando, regularmente, espaços de oração comunitária e de adoração do Santíssimo Sacramento.

3.2.4 Cuidar da preparação dos sacramentos do baptismo e do matrimónio celebrados na Comunidade, como expressão do amor de Deus e fonte de autêntica caminhada cristã.

3.3 Vivência da Caridade

3.3.1 Cultivar a espiritualidade de comunhão.

3.3.2 Ajudar cada membro da comunidade a discernir e a desenvolver os seus próprios carismas.

3.3.3 Favorecer a participação e a corresponsabilidade dos membros da comunidade cristã.

3.3.4 Formar os membros da comunidade cristã para que o exercício da caridade ultrapasse a dimensão institucional e penetre a vida no seu quotidiano.

3.3.5 Valorizar a pastoral dos doentes, bem como outras formas de presença nos momentos de sofrimento e solidão.

 

Concretamente, além das habituais celebrações e acções pastorais e conjugadas com elas, vamos:

Continuar a dinamização da catequese de infância e adolescência, sobretudo pela formação cristã dos catequistas, aproveitando as interpelações do Sínodo sobre a Palavra de Deus na vida e na missão da Igreja.

Criar novas dinâmicas e encontros que incentivem a escuta e o aprofundamento da Palavra de Deus.

Apostar na formação cristã dos adultos, nomeadamente através das acções já programadas, nomeadamente, as recolecções paroquiais nos tempos fortes do Advento e da Quaresma, o investimento na leitura orante da Sangrada Escritura e leitura do Evangelho de cada Domingo com os pais da catequese.

Criar dinâmicas novas na relação da catequese com a família, nomeadamente através do grupo Nós pais, incentivando um maior compromisso das famílias na vida da comunidade cristã.

Lançamento do oratório da Sagrada Família para as crianças da catequese com um itinerário de oração familiar para uma semana.

Repensar a Pastoral Sacramental, nomeadamente a preparação para o baptismo das crianças.

Preparar e celebrar mais cuidadosamente a celebração da Eucaristia, continuando a formar os ministros intervenientes.

Promover a adoração Eucarística com a exposição e bênção do Santíssimo Sacramento da Eucaristia durante as primeiras sextas-feiras de cada mês, entre as 21h30m e as 23h e articulá-la com a oração comunitária preparada quinzenalmente pelos jovens da nossa Paróquia.

Promover a ligação/aproximação entre a Paróquia e o Centro Social Paroquial.

Repensar o espaço que é actualmente ocupado pela Igreja de São José e pelo Centro Social.

Dinamizar a pastoral dos doentes e o serviço dos ministros extraordinários da comunhão.

Apostar no sítio da Paróquia como ferramenta de diálogo inter-paroquial e de presença no meio do mundo.